Feeds:
Posts
Comentários

Archive for dezembro \25\UTC 2011

Origem

 Muitos historiadores sugerem que a comemoração do nascimento de Cristo ocorre no fim do ano por ser uma época de realizações de festas em muitos lugares.

As festas pagãs no mês de dezembro existiam desde cerca de 2200 a.C., sobretudo na Mesopotâmia. O ano novo representava uma grande crise para o povo dessa região, que acreditavam que com a chegada do inverno os maus espíritos se enfureciam e tornavam-se ameaçadores à sua permanência na Terra, e então o deus supremo Marduk saia com a missão de derrotá-los e proteger a humanidade. Este costume chegou aos romanos dando origem à festa da Saturnália, em homenagem ao deus Saturno, deus da agricultura, que ocorria no dia 23 de dezembro, quando acontecia o solstício de inverno- a noite mais longa do ano no Hemisfério Norte.

O motivo para o Natal ocorrer em 25 de dezembro é um ponto muito contraditório para historiadores do assunto, pois de acordo com a leitura da Bíblia a data estaria incorreta. No Evangelho Segundo Lucas, que fala sobre o nascimento de Cristo, João Batista teria nascido em março, e Jesus seis meses depois, portanto em setembro. Foi no século IV que o Natal começou a ser comemorado no dia 25 de dezembro, quando o Papa Júlio I decretou a data no ano 350. A escolha desta data teria o intento de combater qualquer outra celebração pagã em dezembro, como a própria Saturnália. Devido a isso, para manter o significado religioso da data e ainda assim ser aceita por vários povos, alguns rituais pagãos foram incorporados juntamente com o cristianismo.

Os Símbolos

O pinheiro, a decoração das árvores e a iluminação não são invenções cristãs. Os egípcios já levavam folhas de palmeira para dentro das casas no dia mais curto do ano, em dezembro, quando ocorria o solstício de verão no Hemisfério Sul, que simbolizava o triunfo da vida sobre a morte”. Algumas tribos germânicas celebravam o solstício ao redor de um pinheiro, árvore que simbolizava a “resistência perante o frio”. A árvore era o “carvalho sagrado de Odin”, o deus menino, onde se depositava oferendas.  A planta era iluminada por velas, para manter à distância os maus espíritos. Ainda durante o solstício, alguns grupos religiosos decoravam árvores de carvalho com maças.

O presépio que é montado até hoje, foi montado a primeira vez por São Francisco de Assis em 1224, em Greccio na Itália. Esta foi a maneira que São Francisco encontrou de lembrar aos fiéis o ambiente e as condições em que Jesus nasceu. Foi exibido à meia-noite, hora simbólica do nascimento. O ato era seguido por uma missa, e como os galos cantavam nas primeiras horas da madrugada, o nome dado a essa missa pelo povo foi: Missa do Galo.

Para a tradição pagã, sobretudo a escandinava, os sinos tinham o poder de afastar os maus espíritos nos dias escuros. A estrela no topo da árvore faz referência a estrela de Belém, que guiou os três reis magos até o local de nascimento de Cristo. Os corais datam da Idade Média e se popularizaram durante o Renascimento.

O Primeiro Papai Noel

Ele surgiu por volta do século V, em Myra, na Turquia. Era São Nicolau, bispo católico, que tinha hábitos de distribuir presentes aos pobres. Reza a lenda, que ele colocava moedas de ouro na meias dos mais pobres, que deixavam-nas secando penduradas na lareira.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: